segunda-feira, setembro 28, 2020
Outros

    Cade aprova aquisição do controle da Tempest pela Embraer

    Em Destaque

    Linx: em meio à guerra entre Stone e Totvs, acionista misterioso compra 5%

    A assembleia de Linx sobre as ofertas de Stone e Totvs ainda não foi convocada e não...

    Governo pode compensar desoneração da folha com imposto sobre dividendos

    Era para ser só um mini-pronunciamento com o objetivo de mostrar que o ministro da Economia e...

    Esqueça o TikTok: o aplicativo mais poderoso da China é o WeChat

    Logo depois das eleições presidenciais de 2016 nos Estados Unidos, Joanne Li percebeu que o aplicativo que...

    A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a aquisição do controle unitário da Tempest Serviços de Informática, e suas controladas, pela Embraer, conforme despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU).
    A Embraer já tinha participação indireta na empresa desde 2016 por meio do Fundo de Investimento em Participações Aeroespacial (FIP Aeroespacial), ao lado de BNDES, Finep e Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP).

    A operação é composta de dois atos, conforme explica parecer do Cade: no primeiro ato, a Embraer realizará um investimento na Tempest, por meio da subscrição e integralização de novas ações ordinárias, e adquirirá, diretamente dos acionistas pessoas físicas ações ordinárias de emissão da Tempest; e no segundo ato, a Embraer adquirirá ações da Tempest diretamente do FIP Aeroespacial.

    Quando do anúncio do negócio, em julho, a Embraer disse que a Tempest, fundada em 2000 no Recife, é a maior empresa especializada em cibersegurança do Brasil, com 300 funcionários e escritórios também em São Paulo e Londres, com cerca de 300 clientes no Brasil, na América Latina e na Europa.

    “Esta parceria é um marco para a Tempest, e estamos muito entusiasmados com os próximos passos. A robustez da Embraer vai nos ajudar a expandir essa missão para novos mercados”, afirmou na ocasião por meio de nota Cristiano Lincoln Mattos, CEO e sócio-fundador da Tempest, citando que o Brasil é o segundo do mundo com maior índice de cibercrimes, atrás apenas da Rússia, de modo que as empresas brasileiras perdem até US$ 10 bilhões por ano em crimes virtuais. A empresa seguirá de forma autônoma, mantendo marca e equipe.

    Estadão Conteúdo

    Serviços

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Pré Auditoria

    A Profiting, utiliza o serviço de Pré Diligência, como procedimento básico para qualquer negociação de venda de uma empresa cliente. Com foco...

    Últimas Notícias

    Reestruturação da XP Inc é inevitável, e Credit Suisse reforça cautela com ação

    A XP Inc (XP) anunciou uma reestruturação da parceria com sua controladora XP Controle, que, segundo a...

    Governo quer derrubar proteção de manguezais e restingas

    O Ministério do Meio Ambiente está prestes a derrubar um conjunto de resoluções que hoje delimitam as...

    Veja outras matérias