sexta-feira, julho 30, 2021
Outros

    Confiança da indústria despenca 5 pontos em março: “expectativas menos positivas”

    Em Destaque

    O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) recuou 5,1 pontos em março e chegou a 54,4 – mesmo patamar do início de 2017. Aferido no início de março, este resultado é a terceira queda mensal consecutiva do índice, que era de 60,3 em março de 2020, quando os efeitos da pandemia começaram a ser sentidos no Brasil.

    O forte recuo de 5 pontos é, também, a maior queda consecutiva da série histórica, ficando atrás apenas do baque causado pela greve dos caminhoneiros, em 2018, e pelo início da pandemia no Brasil, há um ano. Para a Confederação Nacional da Indústria, que ouviu 1267 empresas de pequeno, médio e grande porte, os resultados divulgados nesta quarta-feira (10) “inspiram cuidados”.

    Medido desde 2014, o ICEI é composto por uma avaliação das condições atuais da economia brasileira e suas empresas, e também por uma sondagem das expectativas em relação ao futuro. Ambas as medições registraram forte queda em março de 2020, seguida de uma “recuperação em V” que se consolidou no final do ano. Desde então, a trajetória é de queda.

    No primeiro caso, do Índice de Condições Atuais, houve uma queda de 4,3 pontos, chegando à marca de 48,9 em março – abaixo da linha divisória dos 50 pontos, o que indica uma avaliação de piora do cenário econômico. Já o Índice de Expectativas caiu 5,4 pontos, para 57,2, o que ainda indica otimismo para os próximos seis meses, mas em um patamar menor do que registrado anteriormente.

    Fonte: Exame

    Serviços

    spot_img

    Últimas Notícias

    China aperta o cerco a grandes companhias. Veja o impacto para as empresas

    A perseguição das autoridades chinesas às suas empresas mais proeminentes, por meio de novas regulamentações e investigações, infiltrou-se em...

    Golpes em delivery de comida sobem 136%, e Procon-SP quer proibir pagamento no ato da entrega

    O registro de um aumento de 136% nos golpes relacionados a aplicativos de delivery de comida, de janeiro a...

    Veja outras matérias