sábado, dezembro 4, 2021
Outros

    Deu química: Advent vai fundir GTM com europeia Caldic

    Em Destaque

    Numa demonstração das ambições da Advent para construir um negócio global de especialidades químicas a partir de seus ativos na América Latina, a gestora anunciou nesta madrugada a aquisição da Caldic, uma companhia europeia controlada pelo Goldman Sachs que fatura cerca de 1 bilhão de euros.

    A Advent fará a compra da Caldic por meio da GTM, empresa de origem guatemalteca controlada pela firma de private equity. Desde que chegou à GTM, em 2014, a gestora vem fortalecendo o negócio com aquisições. No Brasil, a firma chegou a disputar o controle da Oxiteno.

    Antes da Caldic, a quantiQ — distribuidora de produtos químicos que pertencia à Braskem — era a maior a aquisição da GTM, uma transação de R$ 550 milhões fechada em 2017. Há cinco anos, a aquisição da quantiQ dobrou o tamanho da GTM, tornando-se a segunda maior distribuidora de produtos químicos da América Latina.

    Com a Caldic, a GTM dará um salto ainda maior, atravessando o Oceano Atlântico e se estabelecendo como um player global. Fundada na década de 1970 por Joop van Caldenborgh, a Caldic iniciou começou como um trading em Roterdã.

    Desde que o Goldman Sachs assumiu o controle, a companhia holandesa fez dez aquisições, com destaque para a Scott Chemicals, distribuidora de especialidades químicas com forte presença na China e Nova Zelândia. A compra da Scott foi anunciada no mês passado.

    Atualmente, a Caldic está presente na Europa, América do Norte e Ásia-Pacífico, com 35 unidades e 1,2 mil funcionários, fornecendo produtos que atendendo desde a fabricantes de alimentos até farmacêuticas e indústria em geral.

    “Para a indústria química e de distribuição, este é um momento de grandes mudanças, reorganização e consolidação — e para nós, uma grande oportunidade”, disse o sócio e head global de química da Advent, Ronald Ayles, em comunicado.

    Ao unir Caldic e GTM, a Advent praticamente dobra o tamanho da “Nova Caldic”, disse a firma de private equity. “Combinando o negócio com a GTM, líder em produtos químicos no mercado latino-americano, criará um líder da indústria verdadeiramente global”, acrescentou o sócio da gestora na América Latina, Patrice Etlin.

    Numa indústria química que vem trabalhando com margens históricas — como mostram os últimos resultados trimestrais de players como Braskem e Unipar —, a Advent já vinha demonstrando sua disposição para ampliar a atuação em química. A gestora disputou o controle da Oxiteno, mas o grupo asiático Indorama levou a melhor e ficou com a divisão de química da Ultrapar por US$ 1,3 bilhão.

    A Advent também chegou a ser citada com uma das candidatas a ficar com a participação da Novonor (ex-Odebrecht) na Braskem, mas o grupo baiano não chegou a receber propostas firmes pelo ativo e agora avalia se desfazer de parte dos papéis em bolsa.

    O valor da aquisição da Caldic não foi divulgado. Goldman Sachs e Morgan Stanley assessoraram os vendedores. A previsão da Advent é concluir a aquisição no primeiro semestre de 2022.

    Fonte: Pipeline Valor

    Fusões e Aquisições

    Últimas Notícias

    Alexandre Saigh: “IPOs só no fim de 2022 ou 2023”

    Numa tacada que consolidou a maior gestora de private equity, infraestrutura e crédito da América latina, o Pátria acaba...

    Migração do Inter à Nasdaq fica para depois

    Pedidos de resgate ficaram acima dos R$ 2 bilhões que o banco digital havia estipulado como limite A migração do...

    Veja outras matérias