quarta-feira, dezembro 2, 2020
Outros

    Especialistas comentam os efeitos da vitória de Biden para o agro brasileiro

    Em Destaque

    Plano nacional de imunização só sai depois da vacina aprovada pela Anvisa

    O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, disse nesta terça-feira, 1, que...

    Bolsonaro justifica alta na conta de luz com nível de represas e risco de apagões

    Ao justificar o aumento na conta de luz, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou via redes...

    Ricos precisam pagar mais imposto para desigualdade cair, diz estudo

    As propostas da equipe econômica do governo Jair Bolsonaro (sem partido) para criar um novo programa social...

    O agronegócio brasileiro está de olho nos Estados Unidos, especialmente após a vitória de Joe Biden, de acordo com projeção da mídia americana. A eleição do democrata pode mudar o cenário do comércio internacional, avaliam especialistas.

    A política no governo Trump é marcada por muitos conflitos, um deles com a China, maior importadora de alimentos do mundo.

    A briga com os chineses fez com que eles comprassem mais dos produtores brasileiros em vez dos americanos. Só no primeiro semestre deste ano, a China comprou 40% de tudo que o agro brasileiro exportou.

    Para o economista Roberto Dumas, mesmo que Biden mude o tom, a tensão entre chineses e americanos deve continuar no próximo governo.

    Para José Roberto Mendonça de Barros, a chegada do democrata à Casa Branca pode ser positiva para destravar discussões, como as que ocorrem na Organização Mundial do Comércio (OMC), onde algumas demandas do agronegócio brasileiro estão sendo debatidas.

    Política ambiental

    Outra grande mudança para o Brasil deve estar na política ambiental dos Estados Unidos. Donald Trump retirou o país do chamado Acordo do Clima de Paris, que prevê medidas para diminuir as emissões de gases de efeito estufa.

    Joe Biden já declarou que colocará o país de volta ao tratado internacional, e, durante a campanha, o candidato eleito chegou a criticar o aumento do desmatamento no Brasil e disse que pode aplicar sanções comerciais ao país.

    Mas também sinalizou uma ajuda financeira para ajudar a preservar a floresta, na ordem de US$ 20 bilhões.

    “É preciso fazer a lição de casa, precisamos acabar com o desmatamento, não faz sentido no Brasil mais, segundo é ampliar nossas práticas de conservação do solo”, diz Tasso Azevedo, coordenador do Mapbiomas, plataforma que monitora o desmatamento no país.

    “O Brasil não pode ficar em uma situação em que escolhe lado, em que as preocupações ambientais seriam ameaças ao Brasil, elas não são”, completa Azevedo.

    Fonte: G1

    Serviços

    Profiting faz Road Show para captar 20 Milhões.

    O recurso será investido em empresas associadas visando crescimento em vendas e aumento de produção. O mercado de aquisições...

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Últimas Notícias

    Governo busca brecha na lei para limitar atuação dos chineses no 5G

    O governo Jair Bolsonaro está procurando alternativas, dentro da lei, para limitar a participação da fabricante chinesa...

    Moeda digital libra muda de nome para ‘diem’ na tentativa de se afastar do Facebook

    A criptomoeda libra foi rebatizada como "diem" nesta terça-feira (1º) pelo grupo de 27 empresas que coordenam...

    Veja outras matérias