sexta-feira, julho 30, 2021
Outros

    EXAME/IDEIA: Biden 6 pontos à frente de Trump em estado-chave

    Em Destaque

    Se as eleições americanas fossem hoje, o democrata Joe Biden venceria o atual presidente americano Donald Trump com 6% de vantagem na Pensilvânia, estado considerado essencial para ganhar a corrida à Casa Branca. Enquanto o candidato democrata tem 51% das intenções de voto, Trump aparece com 45%. Os indecisos somam 4%.

    Os dados são da mais recente pesquisa feita com eleitores dos Estados Unidos pelo EXAME/IDEIA, que une EXAME Research, braço de análise de investimentos da EXAME, e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. Foram ouvidas 1.200 pessoas por telefone entre os dias 19 e 22 de outubro. A margem de erro é de 3,15 pontos percentuais para mais ou para menos.

    Biden vence Trump em praticamente todas as parceladas do eleitorado, principalmente entre os latinos (68% a 31%) e negros (73% a 25%). Entre a população branca – que tradicionalmente vota mais nos candidatos republicanos -, o democrata não chega a vencer, mas tem os mesmo 46% de intenção de votos de Trump. Entre aquele que votam pelo correio, Biden tem ampla vantagem (63% a 34%), fator que deve ser decisivo no estado em meio à pandemia.

    “Na Pensilvânia a disputa está nos subúrbios, onde os candidatos se equilibram, empatados na margem de erro [48% a 45% para Biden]. Muita gente lá também vai votar pelo correio. Esse dois fatores colaboram para que o resultado da votação não saia já no dia 3”, explica Maurício Moura, fundador do IDEIA e responsável pela pesquisa, no novo episódio do podcast EXAME Política.

    No sistema eleitoral americano, cada estado tem um número de votos e quem ganha leva todos os votos na maior parte dos estados, mesmo que a vitória tenha sido apertada.

    Para o jornalista Sérgio Teixeira Junior, que de Nova York cobre as eleições americanas para EXAME, Trump dificilmente conseguirá reverter as tendências das pesquisas, que também apontam sua derrota em outros estados-chave, como Georgia, Flórida, Ohio e Wisconsin. “Só um esforço sobre-humano nesses estados-chave para reverter esse cenário. Mas o tema da reta final da campanha vai continuar sendo o coronavírus e, com esse repique no número de novos casos, Trump não tem muito o que dizer”, explica o jornalista.

    A mesma pesquisa IDEIA/EXAME mostra que 65% dos eleitores da Pensilvânia desaprovam a reposta de Trump à pandemia. Até mesmo entre os brancos e os moradores dos subúrbios essa avaliação de mantém – com 55% e e 65%, respectivamente, desaprovando a gestão da pandemia do republicano.

    MAIS DINHEIRO, MAIS VANTAGEM

    Para Moura, a esta altura da corrida eleitoral, tentar convencer o pequeno número de eleitores indecisos é “perda de tempo”. O maior desafio dos partidos a essa altura é, portanto, incentivar o eleitor a sair de casa e votar – nos EUA, o voto não é obrigatório. Nesse sentido, Biden também leva vantagem.

    “De cada cinco dólares captados por Biden, Trump tem captado apenas um. E ele pretende usar 35% desses recursos para tirar as pessoas de casa para votar, ou votar antecipadamente”, analisa o pesquisador.

    A pesquisa no estado da Pensilvânia, o debate presidencial do dia 22 de outubro e a reta final da corrida eleitoral são os temas do mais novo episódio do podcast EXAME Política: eleições americanas.

    Fonte: Exame

    Serviços

    spot_img

    Últimas Notícias

    China aperta o cerco a grandes companhias. Veja o impacto para as empresas

    A perseguição das autoridades chinesas às suas empresas mais proeminentes, por meio de novas regulamentações e investigações, infiltrou-se em...

    Golpes em delivery de comida sobem 136%, e Procon-SP quer proibir pagamento no ato da entrega

    O registro de um aumento de 136% nos golpes relacionados a aplicativos de delivery de comida, de janeiro a...

    Veja outras matérias