segunda-feira, março 1, 2021
Outros

    Executivos saídos da XP buscam startups para investir R$ 100 milhões

    Em Destaque

    Investimento é o menor em 53 anos, e Brasil corre risco de tudo piorar

    Se o Brasil não começar rapidamente a aumentar o volume de investimentos, o país terá uma década perdida, com...

    Reforma pode beneficiar milhares de imigrantes brasileiros nos Estados Unidos

    Apresentada ao Congresso na semana passada, a ambiciosa proposta de reforma migratória do presidente Joe Biden pode beneficiar milhares...

    Com fusão aprovada, o que observar ao investir em Hapvida e Intermédica

    O acordo para a criação do segundo maior grupo de saúde do país, unindo Hapvida (HAPV3) e NotreDame Intermédica...

    Dois executivos que saíram da XP e fundaram o Grupo Solum estão buscando startups para acelerar o ritmo de investimentos da beegin, uma das plataformas do grupo. Rodrigo Fiszman e Patricia Stille pretendem injetar 100 milhões de reais em até 20 empresas neste ano.

    Segundo Patrícia, CEO da beegin, o plano é olhar para negócios em expansão, que fazem parte da economia real, inclusive as que estão fora do eixo Rio-São Paulo. “O objetivo da plataforma não é oferecer emissões em startups em estágios mais iniciais, sim negócios um pouco mais maduros, com faturamento acima de 3 milhões de reais. De uma forma simples, a beegin pode ser entendida como uma plataforma para ganhar escala”, afirma. “O interessante de atuar nesse segmento é que investir em participações de empresas privadas é diferente de alocar em mais um instrumento financeiro, que nem todo mundo sabe como funciona. Nessa modalidade, as pessoas investem em um negócio que entendem e se identificam. Lembrando que uma análise cuidadosa do modelo, histórico de resultados, analisando o posicionamento, propósito e potencial de crescimento da empresa é fundamental”, acrescenta.

    A executiva, que foi sócia da XP Investimentos entre 2011 e 2016, lembra que para participar desse mercado é preciso ter visão de longo prazo, entender os riscos, e saber que não faz sentido alocar parte relevante do seu patrimônio em posições que o investidor não vai poder vender facilmente. “Mas se boas escolhas forem feitas, investimentos assim podem ser bastante compensadores no futuro”, finaliza.

    Fonte: Veja

    Serviços

    Últimas Notícias

    Com fusão aprovada, o que observar ao investir em Hapvida e Intermédica

    O acordo para a criação do segundo maior grupo de saúde do país, unindo Hapvida (HAPV3) e NotreDame Intermédica...

    Bitcoin: como a enorme energia gasta pode fazer a ‘bolha’ das criptomoedas explodir

    Todos nós já ouvimos as histórias dos novos milionários por causa do bitcoin. Elon Musk está entre os últimos...

    Veja outras matérias