quinta-feira, maio 6, 2021
Outros

    ModalMais: a confusão que parou o papel

    Em Destaque

    Banco Central eleva Selic em 0,75 p.p., para 3,5% ao ano, e sinaliza mais uma alta na mesma magnitude

    O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu nesta quarta-feira (5) elevar a Selic em 0,75 ponto percentual, para 3,50%...

    “Há muitos Mercados Livres para nascer na AL”, diz Nicolas Szekasy, do Kaszek

    Quando os argentinos Nicolas Szekasy e Hernan Kazah deixaram o Mercado Livre, empresa que tinham cofundado, para criar a...

    Bradesco espera perder receita com Pix e WhatsApp Pay, mas tem substituto

    A chegada da ferramenta de transferências de dinheiro via WhatsApp , assim como o Pix , vai 'morder' um pedaço da...

    Um aparente erro operacional na B3 levou ao congelamento das negociações do ModalMais durante boa parte do pregão desta segunda-feira e ao cancelamento dos negócios envolvendo as ações ON e PN da companhia entre sexta-feira e hoje.

    Quando uma empresa lista suas ações na B3 no formato de units (títulos que combinam ações ON e PN), a regra é que essas ações não podem ser desmembradas durante o chamado ‘período de estabilização’ do papel (cerca de 40 dias corridos imediatamente após o IPO).

    Essa vedação é tão comum que inclusive faz parte do prospecto das ofertas.

    No caso do Modal, no entanto, por algum motivo a B3 não travou as operações com as ações ON e PN, o que abriu espaço para arbitragens envolvendo as duas classes de ação e as units.

    Quando se atentou para a distorção no final da manhã de hoje, a B3 congelou a negociação com a unit — e mais tarde determinou que todos os negócios com ONs e PNs feitos desde sexta-feira fossem cancelados.

    A unit, que começou o pregão de hoje em alta, reabriu às 16h10 com queda de mais de 3%, antes de fechar quase estável, com queda de 0,2%.

    Uma possível explicação: o cancelamento dos negócios obrigou os investidores que estavam vendidos nas ON e PN e comprados na unit a desfazer suas operações, contribuindo para a queda.

    Além disso, a comunicação da B3 com o mercado foi confusa, dando até margem à interpretação de que o IPO inteiro havia sido cancelado. Sardônico, o Faria Lima Elevator cravou: “No Brasil, até o IPO feito é incerto.”

    Fonte: Brazil Journal

    Serviços

    Últimas Notícias

    Xiaomi traz ao Brasil seu 30º smartphone em dois anos

    A chinesa Xiaomi traz ao Brasil a partir de hoje dois novos smartphones chamados Redmi Note 10 Pro e...

    Marcas europeias ameaçam boicotar produtos do Brasil devido a política ambiental

    O Projeto de Lei (PL) 510/21, que altera regras de regularização fundiária em terras da União e do Incra...

    Veja outras matérias