quinta-feira, setembro 23, 2021
Outros

    Nubank e Unidas movimentam o mercado com novas aquisições

    CEO da Profiting Consulting

    Em Destaque

    O mercado de fusões e aquisições permaneceu aquecido durante esta última semana. Duas empresas foram as protagonistas nesta área e concluíram negócios estratégicos para o seu crescimento: Nubank e Unidas. A fintech “roxinha” anunciou a compra da empresa especializada em pagamento via pix Spin Pay. Já a locadora de carros abocanhou a Getrak, empresa de soluções de rastreamento.

    Confira abaixo os principais destaques da semana no setor de fusões e aquisições:

    Nubank compra Spin Pay

    O Nubank anunciou nesta segunda-feira, 30, a compra da Spin Pay, fintech de pagamentos instantâneos que oferece suporte para compras via Pix no comércio eletrônico.

    Mesmo depois da aquisição, as operações seguem independentes. A Spin Pay funcionará como unidade separada de negócios, trabalhando no desenvolvimento de tecnologias – mas, claro, alinhadas com o propósito do Nubank.

    Veja mais: Nubank compra Spin Pay, plataforma de pagamentos Pix para lojas virtuais

    Unidas vai às compras

    Na manhã desta terça-feira, 31 de agosto, a companhia anunciou que o seu Conselho de Administração aprovou a aquisição da totalidade das ações da Getrak, empresa de soluções de rastreamento, com sede em Belo Horizonte, por R$ 120 milhões.

    A compra da Getrak também engrossa lista de aquisições da Unidas no espaço de pouco mais de um ano. Em abril de 2020, o grupo anunciou a incorporação da Zetta Frotas, empresa especializada em customização e terceirização de frotas de veículos especiais, como viaturas policiais, veículos de resgate, ambulâncias e UTIs móveis, e criou uma divisão de negócios voltada a esse segmento.

    Veja mais: À espera de sinal verde para fusão com a Localiza, Unidas vai às compras

    Fusão cria maior distribuidora de TI do mercado

    A Synnex Corporation e a Tech Data Corporation anunciaram oficialmente a conclusão bem-sucedida de sua fusão. A empresa combinada agora se chama TD Synnex.

    A fusão criou uma gigante, com receita combinada de quase US$ 60 bilhões, o que a torna a maior distribuidora de TI do mercado.

    Veja mais: Fusão cria maior distribuidora de TI do mercado, com receita de US$ 60 bi

    Fusão Azul-Latam não deve ocorrer

    “A Latam Brasil não está à venda. Não interessa para o grupo Latam se desfazer da maior operação que ele tem, que responde por um pouco mais da metade da sua receita. Não faz sentido para o grupo.”

    “É engraçado ver os argumentos usados pela Azul para tentar defender essa eventual consolidação, porque eles não se sustentam em 30 segundos de análise. O Brasil é um grande mercado de aviação, o quinto maior do mundo —depois de China, Estados Unidos, Rússia e Índia. Falar que o Brasil não consegue sustentar três companhias aéreas, precisaria ter duas, é um contrassenso. Existe tamanho, sim, para sustentar mais, e não menos empresas.” – Jerome Cadier, presidente da Latam Brasil em entrevista à Folha.

    Veja mais: Presidente da Latam descarta fusão com Azul

    Fusões e Aquisições

    Últimas Notícias

    Conheça a startup que vale 8,7 bilhões de dólares vendendo carros usados

    Não faz dois meses que a Kavak – unicórnio mexicano para compra e vendas de carros seminovos – veio...

    Sem conseguir vender ativos, Saraiva corre risco de ter falência decretada

    Sem conseguir vender ativos, como pontos de lojas e seu domínio na internet, para ganhar fôlego para pagar seus...

    Veja outras matérias