quarta-feira, janeiro 19, 2022
Outros

    O iFood foi hackeado? Entenda o que aconteceu no app

    Em Destaque

    O aplicativo de delivery iFood surpreendeu alguns usuários que tentaram pedir o jantar desta terça-feira (2). Ao entrar na plataforma, o usuário dava de cara com inúmeros nomes “polêmicos” nos restaurantes, que envolviam desde ofensas políticas até mensagens antivacina. Dentre os nomes dos estabelecimentos alterados estão “Lula Ladrão”, “Bolsonaro 2022”, “Marielle de Franco Peneira” e “Vacina Mata”.

    Em uma publicação nas redes sociais, o aplicativo informou que a situação foi causada por um funcionário de uma empresa que prestava serviços de atendimento para o app, e que tinha o poder de alterar nomes dentro da plataforma. Segundo informações do iFood, o incidente atingiu cerca de 6% dos restaurantes cadastrados.

    O acontecimento causou alvoroço nas redes sociais, onde usuários temiam pela segurança do app. Porém, a empresa ressalta que os dados de meios de pagamento dos usuários na plataforma estão seguros. “Os dados de meios de pagamento não são armazenados nos bancos de dados do iFood, ficando gravados apenas nos dispositivos dos próprios usuários, não tendo havido comprometimento de dados de cartões de crédito”, esclareceu.

    Ainda segundo o pronunciamento, “não houve qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais de clientes ou entregadores cadastrados na plataforma”.

    No Twitter, a situação gerou revolta de parlamentares. A deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS), classificou a troca de nomes como “crueldade bizarra”. Já o deputado federal Paulo Ramos (PDT-RJ) alegou que a ação se refere ao “gabinete do ódio”, termo utilizado para descrever a atuação de assessores que comandariam ataques a adversários de Bolsonaro.

    Estadão Conteúdo

    Fusões e Aquisições

    Últimas Notícias

    Os fundos imobiliários mais rentáveis de 2021. E o que eles têm em comum

    Os fundos imobiliários (FIIs) tiveram mais um ano de perdas em 2021. O iFix, índice do segmento, encerrou o...

    Vyttra fatura R$ 300 mi com exames de covid e está pronta para autotestes

    Fabricante brasileira de exames de covid vai investir R$ 60 milhões em 2022 e prepara testes rápidos para detectar...

    Veja outras matérias