quinta-feira, janeiro 21, 2021
Outros

    O que é o Signal, concorrente do WhatsApp preferido de Elon Musk

    Em Destaque

    Dívida, briga e frango frito: o inferno astral da IMC

    O inferno astral da International Meal Company (IMC), dona das redes Frango Assado e Viena, tem de...

    Crise gerada pela covid segura valor de aluguéis

    A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) disparou no ano passado, mas isso...

    Renault lança serviço de carro por assinatura mais barato do Brasil

    Engrossando um movimento iniciado por montadoras como Toyota, Audi, Volkswagen, Fiat e Jeep, no Brasil, a Renault...

    Após o WhatsApp anunciar que tornaria obrigatório o compartilhamento de dados de seus usuários com o Facebook, o bilionário Elon Musk publicou um tuíte curto, mas que gerou grande repercussão: “Usem o Signal“.

    O Signal é um aplicativo de mensagens e foi sugerido por Musk por ser uma opção que não coleta nenhum dado de seus usuários.

    O CEO da Tesla e da SpaceX tem mais de 41,5 milhões de seguidores e ainda recebeu um retuíte do presidente do Twitter, Jack Dorsey, que tem 5,1 milhões de seguidores. O tuíte chegou a mais de 320 mil curtidas.

    Em poucos dias, milhares de novos usuários ingressaram na plataforma. “Os códigos de verificação estão atualmente atrasados em vários provedores porque muitas pessoas novas estão tentando se inscrever no Signal agora”, postou a plataforma em seu Twitter. “Mal podemos registrar nosso entusiasmo!”

    O que é o Signal?

    O aplicativo de mensagens Signal é concorrente do WhatsApp e do Telegram, mas se diferencia de ambos por não coletar nenhum dado de seus usuários. Ele foi o meio de comunicação entre os manifestantes de Hong Kong durante os protestos anti-governo.

    O Signal usa criptografia de ponta a ponta em todos os serviços oferecidos na plataforma, desde mensagens até chamadas de vídeo. Não há acesso para contatos, grupos, mensagens, imagens ou pesquisas dos usuários, diferente dos outros aplicativos.

    Qual é a história do Signal?

    Fundada em 2018 por Moxie Marlinspike e Brian Acton, um dos cofundadores do WhatsApp, o Signal é uma organização sem fins lucrativos que considera sua missão “levar comunicação privada e segura para qualquer pessoa”.

    Para os desenvolvedores, não ter fins lucrativos significa que “ele nunca pode ser comprado, não tem investidores e não é “propriedade” de ninguém”. Graças ao tuíte de Musk, as ações de outra empresa também chamada Signal (mas que desenvolve sensores para a indústria e a área médica), saltaram 1.098% em dois dias.

    Em um bate-papo com usuários no Reddit, a empresa afirmou: “Um dos motivos pelos quais optamos por ser uma organização sem fins lucrativos é o nosso desejo de criar um modelo de negócios para uma tecnologia que não fosse baseada na necessidade de dados pessoais de forma alguma”.

    Fonte: Exame

    Serviços

    Profiting faz Road Show para captar 20 Milhões.

    O recurso será investido em empresas associadas visando crescimento em vendas e aumento de produção. O mercado de aquisições...

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Últimas Notícias

    Os fatores que deixaram a bolsa brasileira na contramão do mercado dos EUA

    As principais bolsas americanas fecharam em alta nesta terça-feira, 19, que representa o último dia do republicano...

    Dívida, briga e frango frito: o inferno astral da IMC

    O inferno astral da International Meal Company (IMC), dona das redes Frango Assado e Viena, tem de...

    Veja outras matérias