quarta-feira, dezembro 2, 2020
Outros

    Para a Facio, o cheque especial dos bancões é um produto jurássico

    Em Destaque

    Plano nacional de imunização só sai depois da vacina aprovada pela Anvisa

    O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, disse nesta terça-feira, 1, que...

    Bolsonaro justifica alta na conta de luz com nível de represas e risco de apagões

    Ao justificar o aumento na conta de luz, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou via redes...

    Ricos precisam pagar mais imposto para desigualdade cair, diz estudo

    As propostas da equipe econômica do governo Jair Bolsonaro (sem partido) para criar um novo programa social...

    A Facio — uma fintech que permite que funcionários antecipem seu salário — acaba de levantar US$ 5 milhões (R$ 27 mi ao câmbio de hoje) para acelerar sua expansão e criar um FIDC que vai comprar os créditos originados na plataforma.

    A rodada foi liderada pela Monashees, Y Combinator e a ONEVC, a gestora brasileira baseada em São Francisco que foi uma das primeiras investidoras da Rappi.

    Outros investidores incluem Igor Marchesini, o ex-CEO no Brasil da SumUp, uma adquirente alemã que concorre com a PagSeguro; Gabriel Braga, fundador do Quinto Andar; e Michael Seibel, o CEO da Y Combinator em seu primeiro investimento numa startup brasileira.

    Esta é a segunda captação desde que a startup foi fundada no início deste ano.

    A Facio está tentando resolver um problema recorrente nos corredores das empresas: ali por volta do dia 15, o salário acaba mas o mês continua. Os boletos não param de chegar e forçam muitos funcionários a pegar empréstimos a taxas obscenas.

    A solução da Facio permite que o funcionário antecipe parte do seu salário, pagando uma taxa de 1% ao mês. O pagamento será descontado diretamente do salário no mês subsequente. (Para efeito de comparação, as taxas do cheque especial dos bancões — o produto que hoje atende essa necessidade — variam de 8% a 32% ao mês.)

    “Na SumUp, esse era um problema recorrente do pessoal de atendimento ao cliente,” diz Saulo Tristão, o fundador da Facio e um dos empreendedores que trouxe a empresa alemã de pagamentos ao Brasil em 2013. “Às vezes a pessoa só precisava de R$ 100, R$ 200, mas o empréstimo mínimo do consignado do banco era de R$ 2 mil para pagar em seis meses. Falta flexibilidade e as taxas também são altas.”

    Outro problema: o processo dos bancões é lento e burocrático e muitas vezes inacessível para PMEs.

    A ideia de criar a Facio surgiu durante um MBA em Stanford, onde Saulo conheceu o conceito de ‘antecipação de salários’, já amplamente disseminado nos EUA.

    Seu grande benchmark: a Dave, uma fintech da Califórnia que começou fazendo apenas a antecipação de salários e hoje opera como um banco digital completo. Fundada em 2016, a Dave foi avaliada em US$ 1 bilhão em sua rodada mais recente (um Series B no final do ano passado).

    Além da antecipação de salário, a Facio lançou recentemente o crédito consignado tradicional (que vai permitir que os funcionários de empresas troquem uma dívida cara por uma mais barata) e uma poupança.

    “Apesar de terem o mesmo colateral, a antecipação e o consignado são produtos para momentos e necessidades completamente diferentes,” diz Saulo. “A antecipação é para uma emergência; o consignado para um empréstimo maior.”

    A capitalização vai ser usada para investir em marketing e para comprar as cotas subordinadas de um FIDC de entre R$ 10 milhões e R$ 20 milhões que a fintech está levantando.

    Hoje a Facio apenas origina os créditos, que são comprados por um banco parceiro (o Money Plus) num modelo conhecido na indústria como ‘barriga de aluguel’. (A ideia é que o FIDC compre essa carteira de crédito do Money Plus).

    No futuro, Saulo quer transformar a Facio numa Sociedade de Crédito Direto, que poderia dar crédito diretamente ao consumidor — eliminando a figura do banco intermediário — e lançar novos produtos de empréstimo.

    Fonte: Brazil Journal

    Serviços

    Profiting faz Road Show para captar 20 Milhões.

    O recurso será investido em empresas associadas visando crescimento em vendas e aumento de produção. O mercado de aquisições...

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Últimas Notícias

    Governo busca brecha na lei para limitar atuação dos chineses no 5G

    O governo Jair Bolsonaro está procurando alternativas, dentro da lei, para limitar a participação da fabricante chinesa...

    Moeda digital libra muda de nome para ‘diem’ na tentativa de se afastar do Facebook

    A criptomoeda libra foi rebatizada como "diem" nesta terça-feira (1º) pelo grupo de 27 empresas que coordenam...

    Veja outras matérias