terça-feira, setembro 22, 2020
Outros

    Para Planalto e Economia, ‘cartão vermelho’ tem endereço certo: Waldery Rodrigues

    Em Destaque

    Brasil recebe cota adicional para vender 80 mil toneladas de açúcar aos EUA, diz Bolsonaro

    O presidente Jair Bolsonaro anunciou em rede social, nesta segunda-feira (21), que o Brasil vai receber uma...

    Vulcabras fecha acordo com Alpargatas para comprar operação da Mizuno no Brasil

    A Vulcabras fechou acordo com a Alpargatas para a compra da unidade de negócio relativa à operação...

    Mercado eleva estimativa para inflação em 2020 pela 6ª vez

    O mercado voltou a elevar a expectativa para a inflação este ano em meio às renovadas preocupações...

    Integrantes do Palácio do Planalto e do próprio Ministério da Economia reconhecem que o “cartão vermelho” do presidente Jair Bolsonaro tem endereço certo: o secretário Especial de Fazenda, Waldery Rodrigues.

    Auxiliares do governo ouvidos pelo blog consideram a permanência do secretário insustentável. A percepção é que faltou habilidade ao secretário ao divulgar estudos internos que ainda não tinham aval político.

    Em entrevista ao G1, no domingo (13), Waldery Rodrigues disse que a área econômica apoiava congelar os valores de aposentadorias e pensões para economizar dinheiro público e, com isso, viabilizar o programa Renda Brasil.

    Nas palavras de um influente auxiliar, “fazia tempo” que situação de Waldery “já não estava boa”. O episódio, portanto, teria apenas explicitado essa situação. No Planalto, a avaliação é que a saída do secretário do governo é a melhor forma de blindar o próprio o ministro da Economia, Paulo Guedes, do desgaste.

    Pela manhã, Guedes foi ao encontro do presidente Jair Bolsonaro. Depois, chamou de “barulheira” as divergências no governo sobre meios de financiar o programa social Renda Brasil. O ministro também afirmou que não foi endereçado a ele o “cartão vermelho” citado pelo presidente.

    Bolsonaro proíbe assunto

    Mais cedo, Bolsonaro disse que o assunto do programa Renda Brasil “está proibido” dentro do governo. O programa chegou a ser discutido como um substituto do Bolsa Família.

    No entanto, propostas de equipe econômica sobre cortes de gastos em outras áreas para financiar o Renda Brasil não agradaram ao presidente. Bolsonaro disse que o Bolsa Família vai continuar.

    O presidente também criticou tentativas de se buscar receitas para o Renda Brasil a partir do congelamento de aposentadorias e pensões.

    Na entrevista ao G1, Waldery Rodrigues disse que essas medidas eram avaliadas pela equipe econômica. Outra alternativa seria restringir o pagamento do seguro-desemprego.

    Fonte: G1

    Serviços

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Pré Auditoria

    A Profiting, utiliza o serviço de Pré Diligência, como procedimento básico para qualquer negociação de venda de uma empresa cliente. Com foco...

    Últimas Notícias

    Magazine Luiza e Sebrae vão expandir parceria que qualifica pequenos negócios para atuar em e-commerce

    O Magazine Luiza (MGLU3) e o Sebrae vão expandir a parceria para todo o país. Atualmente com...

    Creditas entra na briga pelo mercado de benefícios corporativos

    O mercado de benefícios corporativos ganha um competidor de peso nesta segunda-feira, 21. A fintech , conhecida...

    Veja outras matérias