sábado, outubro 24, 2020
Outros

    Rede de ginástica fatura R$ 13 milhões por ano com aulas ao ar livre

    Em Destaque

    Desemprego diante da pandemia bate recorde no Brasil em setembro, aponta IBGE

    O desemprego diante da pandemia do novo coronavírus bateu recorde em setembro, apontam os dados divulgados nesta...

    Arezzo anuncia compra de rede de moda Reserva em operação de R$ 715 milhões

    A Arezzo anunciou nesta sexta-feira (23) que seu conselho de administração aprovou acordo de combinação de negócios...

    Governo anunciará 2 mil simplificações trabalhistas, diz Guedes

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo anunciará em “uma ou duas semanas” a...

    A Mude instala estações de exercício a céu aberto nas cidades e oferece aulas online gratuitas em seu aplicativo

    Fazer atividade física precisa custar caro? Marcus Moraes acredita que não. Há 18 anos, o empreendedor criou a Mude, empresa que oferece exercícios de forma gratuita para as pessoas. A companhia começou instalando estações de ginástica ao ar livre no Rio de Janeiro e hoje tem mais de 200 unidades espalhadas pelo Brasil.

    A Mude adota um modelo de negócio em que grandes marcas, como Unimed, Nestlé e Santander, patrocinam o projeto de atividade física gratuita de cada cidade. Fora o patrocínio, a Mude vende espaço de publicidade em cada uma de suas estações de ginástica. No ano passado, a companhia faturou 13 milhões de reais, em um crescimento de 13% em relação a 2018.

    Além dos aparelhos de uso público, a empresa oferece aulas de yoga, meditação e musculação gratuitas e abertas ao público. Em 2019, foram cerca de 400 aulas presenciais por mês nas estações do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Florianópolis. Em geral, participam de 55 a 60 alunos. Para reservar seu lugar, é preciso utilizar o aplicativo da empresa, criado em 2017.

    Do céu aberto ao Instagram

    Por causa da pandemia, a maior parte das cidades impediu o acesso às estações de ginástica coletivas da Mude. Para continuar oferecendo seus serviços, a empresa rapidamente estruturou um modelo de aulas ao vivo pelo seu aplicativo, utilizando os serviços dos 50 professores que já trabalhavam com eles. “O app quebrou a barreira física da Mude. Conseguimos atrair novos usuários e temos alunos treinando dos Estados Unidos, Portugal, França, Argentina e Canadá”, diz Moraes. 

    Nos últimos meses, a empresa fez oito transmissões ao vivo por dia. Apesar da menor oferta total mensal, o número de pessoas participando é maior que nas aulas presenciais. As turmas chegam a 200 ou 300 alunos, especialmente nas lives abertas no Instagram. Em geral, 25% das aulas são oferecidas na rede social e 75% no aplicativo próprio.

    Com o sucesso da iniciativa, a empresa pretende continuar a oferecer o serviço digital no futuro. Apesar disso, o fundador da rede está otimista de que, conforme as cidades forem reabrindo, mais pessoas vão optar por utilizar as estações físicas da Mude. “As pessoas mais do que nunca vão precisar ir ao ar livre, estão traumatizadas, ninguém quer ir para casa ou para prédio fechado”, diz Moraes. 

    De olho nessa demanda, a companhia já instalou 20 novas unidades no Rio de Janeiro e planeja abrir mais 70 até o final do ano. Ao todo, irá investir 2,5 milhões de reais no projeto de expansão. 

    A Mude também está desenvolvendo uma tecnologia para que as aulas ganhem escala. Moraes acredita que, com um totem digital nas estações, conseguiria transmitir simultaneamente as aulas ao vivo com os professores da companhia e diminuir o custo por aluno, que hoje é de 6,50 reais, para menos de um real.

    “Dessa forma, usando tecnologia, podemos oferecer atividade física em grande escala, conectando as pessoas”, diz o fundador. Apesar de não ter perdido patrocinadores, a empresa projeta repetir o mesmo faturamento de 2019 este ano, por causa da desaceleração do mercado publicitário com a crise. Atingir mais pessoas com os produtos, então, seria oportuno para garantir a continuidade do negócio.

    Fonte: Exame

    Serviços

    Investimento em Empresas

    O mercado de aquisições de empresas está bem ativo e atraente considerando dois aspectos: O Dólar alto e a SELIC baixa.

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Últimas Notícias

    Economia repassará R$ 60 mi para Meio Ambiente combater queimadas

    O Ministério da Economia informou hoje (23) que repassará R$ 60 milhões para o Ministério de Meio...

    Streaming da Amazon cresce mais do que a Netflix, diz pesquisa

    O Amazon Prime Video foi o serviço que mais cresceu durante a pandemia do novo coronavírus. Ao...

    Veja outras matérias