sexta-feira, agosto 7, 2020
Outros

    Setor têxtil teve em abril e maio as piores perdas da história

    Em Destaque

    BB e Bradesco contratam consultoria para separar negócio na EloPar e Cielo

    O Banco do Brasil e o Bradesco contrataram uma consultoria para examinar a possível separação dos negócios...

    ‘Podemos chegar a um crescimento de 3,5% a 4% no fim desse governo’, diz Guedes

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quinta-feira, 6, confiar em uma recuperação acelerada da economia...

    Dia dos Pais não anima varejo e só 19% dos empresários estão otimistas com vendas

    Apesar da retomada gradual da economia em diversas regiões do Brasil, o empresariado nacional não está animado...

    Os desenvolvimentos de novos artigos e formas de vendas surgem como alternativa para superar um período difícil no setor dos vestuários.

    De acordo com dados do IBGE, a fabricação de produtos têxteis caiu 51,1% em abril e mais 46,5% em maio, as piores perdas da história do setor. Já o comércio nos segmentos de tecidos, vestuário e calçados registrou, de março para abril, uma queda 60,6%.

    O recuo fez com que a Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção) estimasse que até 80 mil postos de trabalho formais sejam perdidos até o fim de 2020. O número de demissões só não será maior porque muitas companhias aderiram à MP (medida provisória) 936, que autoriza o corte de salários e jornadas de trabalhadores.

    A projeção das indústrias têxteis no momento é a de que o faturamento seja abaixo de 70% do que seria esperado antes da pandemia.

    “Nossa expectativa de queda hoje está em torno de 14% na área de têxtil para o lar e decorativo, e mais 18% na área de moda. Esses números significam perder, apenas em um ano, mais do que perdemos em dois anos na recessão de 2015 e 2016”, disse o presidente Fernando Pimentel.

    Para André Macedo, gerente da pesquisa industrial mensal do IBGE, o recuo no segmento têxtil seguiu o movimento da indústria como um todo, com maior frequência de unidades produtivas paralisadas. Também acompanha o movimento de queda observado no setor de vestuário, que reduziu a produção por conta da menor demanda.

    “Esse segmento é muito atrelado à demanda doméstica e evolução da renda. Com o aumento no número da taxa de desocupação, e a consequente redução na massa salarial, é natural que esses segmentos voltados ao consumo doméstico mostrem algum tipo de perda”, disse.

    Só em maio, a pandemia aniquilou 7,8 milhões de empregos, segundo o IBGE.

    Macedo analisou, porém, que, com as flexibilizações das medidas restritivas de distanciamento social ocorridas pelo país, o setor industrial como um todo tende a mostrar algum grau de melhora.

    “A grande questão é se a indústria, inclusive a têxtil, conseguirá recuperar as perdas e, se conseguir, em quanto tempo isso ocorrerá”, disse o gerente do IBGE.

    Fonte: Folha

    Serviços

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empreendedores, em âmbito nacional,  que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Pré Auditoria

    A Profiting, utiliza o serviço de Pré Diligência, como procedimento básico para qualquer negociação de venda de uma empresa cliente. Com foco...

    Últimas Notícias

    BB e Bradesco contratam consultoria para separar negócio na EloPar e Cielo

    O Banco do Brasil e o Bradesco contrataram uma consultoria para examinar a possível separação dos negócios...

    Fazenda Futuro chega a Europa e EUA com carne de plantas para carnívoros

    O mercado de carnes vegetais, ou plant based, é um dos vencedores indiscutíveis da pandemia do novo...

    Veja outras matérias