quinta-feira, outubro 22, 2020
Outros

    Varejo tem queda nas vendas de 2,5% em março

    Em Destaque

    Diretora do BC reitera impacto de crise climática para política monetária

    Eventos climáticos extremos têm se tornado mais frequentes no mundo, com possibilidade de afetar as decisões da...

    Na 2ª alta seguida, arrecadação de impostos avança 1,97% em setembro e atinge R$ 119,8 bi

    A Receita Federal informou nesta quarta-feira (21) que a arrecadação de impostos, contribuições e demais receitas federais...

    Recorde na B3: vendas de ações em 2020 já somam R$ 106 bilhões

    O ano de 2020 ainda nem terminou, é verdade. Mas, até os mais conservadores já podem se...

    No varejo ampliado, que inclui vendas de veículos e de material de construção, a queda foi ainda maior, de 13,7%

    Mesmo com ‘corrida’ aos supermercados, vendas no varejo caem

    As vendas do comércio varejista caíram 2,5% em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 16% a avanço de 0,80%, mas foi melhor que a mediana, que apontava queda de 4,70%. 

    Este resultado acontece mesmo com a ‘corrida’ aos supermercados e às farmácias em meio ao fechamento do comércio não essencial a partir da segunda quinzena de março com os decretos de isolamento social para conter o avanço da pandemia. No setor de hipermercados e supermercados, houve crescimento de 14,6%. Para artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, alta de 1,3%. Estes, porém, foram os únicos com avanços nas vendas.

    Vendas de veículos em baixa

    No varejo ampliado, que inclui vendas de veículos e de material de construção, a queda foi ainda maior, de 13,7% ante fevereiro. A medida das estimativas feitas pelos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast era de retração de 14,35%. O resultado foi puxado pela forte queda nas vendas de veículos em março. A Fenabrave, associação que reúne as concessionárias, reportou que o nível de vendas foi o pior para o mês desde 2006, com queda de 21,8% ante o mesmo período de 2019.

    Na comparação com fevereiro, os dados da associação indicam retração de 32% nas vendas de veículos, em números ajustados sazonalmente pela pesquisadora Luana Miranda, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

    A situação deve piorar em abril, primeiro mês completo em que vigorou a proibição de funcionamento para o comércio não essencial diante do avanço da pandemia de coronavírus no País.

    Considerando os dados da Fenabrave e as sondagens do comércio e dos consumidores da FGV, Luana projeta queda de 33% no varejo ampliado em abril ante o mesmo mês de 2019. Para o ano, a expectativa do Ibre é de retração de 7,1% do varejo ampliado.

    O economista Vitor Vidal, da LCA Consultores, avalia que, com os números apresentados pela Fenabrave em abril, o setor deve aprofundar a retração. Preliminarmente, ele projeta queda de 12,6% no varejo ampliado no quarto mês do ano.

    “São quedas de uma magnitude que nunca vimos antes”, afirmou. A LCA projeta queda de 0,7% no PIB do primeiro trimestre, mas o economista afirma que há um “claro viés de baixa” depois da divulgação dos dados de produção industrial (-9,1%) e de volume de serviços (-6,9%) de março. 

    Fonte: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,vendas-no-varejo-em-marco-caem-2-5-ante-fevereiro,70003301253

    Foto: “Mercadão de Madureira”, no Rio de Janeiro, com  pouca movimentação em meio à pandemia – Antonio Lacerda/EFE – 12/05/2020

    Serviços

    Investimento em Empresas

    O mercado de aquisições de empresas está bem ativo e atraente considerando dois aspectos: O Dólar alto e a SELIC baixa.

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Últimas Notícias

    Startup do Carrefour reduz desperdício e ajuda a economizar até R$ 2 mi

    O Cybercook poderia ser apenas mais um site de receitas. Mas, adquirido pela rede de supermercados Carrefour...

    O que está por trás das compras da Stone?

    Nos últimos anos, a Stone comprou diversas startups, como a Vitta, de planos de saúde, e a...

    Veja outras matérias