sábado, julho 31, 2021
Outros

    4,9 mi de mortes na pandemia não foram registradas na Índia, diz estudo

    Em Destaque

    O excedente de mortes na Índia durante a pandemia de Covid-19 pode chegar a 4,9 milhões de pessoas, segundo um novo estudo que fornece mais evidências de que milhões a mais podem ter morrido por causa do coronavírus do que a contagem oficial.

    O relatório do Centro de Desenvolvimento Global, com sede em Washington, cujo co-autor, Arvind Subramanian, já foi o principal conselheiro econômico da Índia, inclui mortes de todas as causas desde o começo da pandemia até junho deste ano.

    A contagem oficial da Índia de mais de 414 mil mortes é a terceira maior do mundo, atrás de Estados Unidos e Brasil, mas o estudo é mais um elemento às cobranças de especialistas por uma auditoria nacional rigorosa da quantidade de óbitos.

    Um crescimento devastador de infecções em abril e maio, impulsionado em grande parte pela variante Delta, mais infecciosa e perigosa, sobrecarregou o sistema de saúde e matou pelo menos 170 mil pessoas apenas em maio, segundo dados oficiais.

    “O que é tragicamente claro é que pessoas demais, em milhões mais do que em centenas de milhares, podem ter morrido”, disse o relatório, estimando entre 3,4 milhões e 4,9 milhões o excedente de mortes durante a pandemia.

    Mas o relatório não atribuiu todas as mortes excedentes à Covid-19.

    “Nós focamos na mortalidade por todas as causas e estimamos o excedente de mortalidade em relação a uma base pré-pandemia, ajustando para a sazonalidade”, disseram os autores.

    Fonte: Exame

    Serviços

    spot_img

    Últimas Notícias

    China aperta o cerco a grandes companhias. Veja o impacto para as empresas

    A perseguição das autoridades chinesas às suas empresas mais proeminentes, por meio de novas regulamentações e investigações, infiltrou-se em...

    Golpes em delivery de comida sobem 136%, e Procon-SP quer proibir pagamento no ato da entrega

    O registro de um aumento de 136% nos golpes relacionados a aplicativos de delivery de comida, de janeiro a...

    Veja outras matérias