terça-feira, janeiro 26, 2021
Outros

    Ao facilitar o crédito rural, esta startup deve movimentar R$ 500 mi em 2021

    Em Destaque

    O que o day trade e as ações da GameStop revelam sobre a bolha

    O que uma rede de lojas físicas de games pode oferecer de retorno para o investidor em...

    Apple alerta sobre cuidados no uso do iPhone 12 por pessoas com marca-passo

    A Apple publicou nesta segunda-feira (25) uma página de suporte em português sobre os cuidados que pessoas...

    Apesar da pandemia, Globo bate meta de lucro em 2020

    Em comunicado enviado aos seus colaboradores, a TV Globo celebrou ter alcançado as metas de lucratividade em...

    Em 2020 foi o ano do agro brilhar. Com a alta da demanda e também das moedas estrangeiras, a agropecuária brasileira teve um salto de 1,2%. Na contramão da queda do Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB), o agro fez do Brasil o maior exportador do mundo, mesmo em meio à pandemia. Os investimentos em tecnologia seguiram a tendência, o que também beneficiou startups do setor.

    A TerraMagna, agtech que financia produtores rurais por meio da revenda, viu o crédito concedido em 2020 ultrapassar a casa dos 50 milhões de reais.

    A dimensão do setor foi o que atraiu os fundadores da TerraMagna Bernardo Fabiani e Rodrigo Marques, dois engenheiros eletrônicos, a investirem no setor agrícola. “Olhamos para o crédito por saber que o volume movimentado é colossal, ao mesmo tempo em que a avaliação de risco para esse setor ainda é muito ineficiente”, diz Bernardo Fabiani, presidente da TerraMagna.

    Em comum, os dois fundadores que se conheceram no Insituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) tinham o desejo de empreender e trabalhar com um setor rico em oportunidades. Desse anseio nasceu em São José dos Campos (SP) a TerraMagna, em 2017. Mas foi somente dois anos depois que a startup delineou sua atuação com o mercado de crédito rural.

    O aumento na produtividade agrícola na pandemia também cooperou para que a startup mais do que triplicasse o número de hectares monitorados via satélite. “Por trás do aumento da produtividade, está um produtor que precisa de crédito para sustentar a sua produção e comprar insumos, safra após safra”, diz.

    A TerraMagna financia o produtor por meio da revenda. Isso significa que a fintech oferece crédito aos revendedores e agroindústrias, vendas e pequenos comércios que recebem produtos de produtores rurais como sementes, fertilizantes e defensivos, por exemplo.

    Hoje, o financiamento para o setor de agro ainda é um mercado desassistido, diz Fabiani. A solução encontrada pela startup e que também é o grande diferencial da empresa, segundo o executivo, é o fato de que a avaliação de risco e taxas de juros são estabelecidas de acordo com a produtividade – checagem feita com a ajuda dos satélites. Na prática, as taxas são calculadas caso a caso, a depender da área e histórico financeiro de cada produtor.

    Para a revenda, isso significa deixar de lado o crédito e alterações do clima como fatores de risco no balanço comercial. O serviço de antecipação de recebíveis da TerraMagna movimentou 53,5 milhões de reais em 2020. Para este ano, a startup estima uma movimentação oito vezes maior, financiando meio bilhão de reais. “Entendemos que as revendedoras ofereciam os insumos para que o produtor fizesse o seu plantio e só conseguem retorno depois que esse produtor faz a colheita e a venda e após muitas parcelas. Queremos acelerar esse processo e ajudar nos casos de perda”, disse.

    A Agtech tem em torno de 60 clientes, entre revendas, agroindústrias e cooperativas nas principais áreas agrícolas do país, com uma maior concentração no Cerrado. Ao todo, a startup monitora 8,3 milhões de hectares no Brasil, o triplo quando comparado ao ano anterior. Esse salto só foi possível graças a uma rodada de investimento de 2 milhões de dólares que aconteceu em setembro de 2019 liderada pelo fundo de venture capital ONEVC, Accion Venture Lab e pelo MAYA Capital, fundo de Lara Lemann.

    Para o próximo ano, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) estima uma alta de 4% no PIB do agronegócio, e a tendência é que pequenos produtores recorram cada vez mais a soluções que não estejam associadas ao sistema financeiro tradicional para o acesso ao crédito, segundo Fabiani. Esse cenário vai apoiar os objetivos de escalada da TerraMagna: serão 24,9 milhões de novos hectares monitorados e mais 446,5 milhões de reais em crédito a serem concedidos até o final do ano.

    “Sabemos que a agricultura brasileira é um setor com números que saltam os olhos e queremos contribuir ainda mais com o crédito, que é um insumo essencial para esse mundo. Para isso, também vamos apostar na regionalização, com abertura de escritórios em Goiás, Paraná e Mato Grosso do Sul”, diz Fabiani.

    Fonte: Exame

    Serviços

    Profiting faz Road Show para captar 20 Milhões.

    O recurso será investido em empresas associadas visando crescimento em vendas e aumento de produção. O mercado de aquisições...

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Últimas Notícias

    O que o day trade e as ações da GameStop revelam sobre a bolha

    O que uma rede de lojas físicas de games pode oferecer de retorno para o investidor em...

    Apple alerta sobre cuidados no uso do iPhone 12 por pessoas com marca-passo

    A Apple publicou nesta segunda-feira (25) uma página de suporte em português sobre os cuidados que pessoas...

    Veja outras matérias