quarta-feira, agosto 12, 2020
Outros

    Casa Branca anuncia saída formal dos EUA da OMS

    Em Destaque

    Dá para confiar na vacina russa?

    https://open.spotify.com/episode/29tq2acg6yZilWTngn2qQa?si=wFvd5-EvRRKu3XcVrWRz4A Descrição do episódio A grande esperança de contra-atacar...

    Amazon vai lançar 3.236 satélites para sua megaconstelação e preocupa astrônomos

    A Amazon vai enviar 3.236 satélites para a órbita da Terra, como parte de uma megaconstelação chamada Kuiper. O...

    “O protagonista do desenvolvimento sustentável na Amazônia será o setor privado, não o Estado”, afirma Mourão

    O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, declarou nesta terça-feira (11) que o setor privado será o “protagonista do...

    A OMS tem sido uma das maiores entidades à frente do combate à pandemia do novo coronavírus

    O governo de Donald Trump iniciou nesta terça-feira a retirada formal dos Estados Unidos da Organização Mundial da Saúde (OMS), cumprindo as ameaças que fez em várias ocasiões ao criticar a entidade por sua resposta à pandemia de coronavírus.

    Os Estados Unidos são o maior doador da OMS, uma organização que lidera a luta global contra doenças como poliomielite, sarampo e também contra epidemias de saúde mental. A decisão de Trump de deixar a agência com sede em Genebra gerou uma onda de críticas.

    Trump acusou a OMS de encobrir a magnitude da pandemia de coronavírus e disse que as posições da organização estão muito próximas da China, onde o vírus foi detectado pela primeira vez em dezembro e de um país que ele também culpa por sua disseminação.

    Após várias ameaças de Trump de suspender contribuições da ordem de US$ 400 milhões por ano, o presidente dos EUA finalmente notificou o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, de que seu país começa a retirada do organismo, informou um porta-voz do Departamento de Estado.

    A retirada entraria em vigor em um ano – 6 de julho de 2021 -, mas Joe Biden, rival democrata de Trump na disputa eleitoral de novembro, afirmou que se vencer, ele reverterá imediatamente a decisão.

    “Os americanos estão mais seguros quando os Estados Unidos se comprometem a fortalecer a saúde global. No meu primeiro dia como presidente, voltarei à @WHO (OMS) e restaurarei nossa liderança no cenário mundial”, escreveu Biden no Twitter.

    “Controle total”

    A carta de notificação foi enviada depois que Trump anunciou em 29 de março que seu país estava deixando a organização por causa de diferenças de tratamento em relação à China, alegando que Pequim estava “no controle total” da organização.

    Muitos críticos do presidente afirmaram que este anúncio se trata de uma distração para a opinião pública sobre a gestão da pandemia nos Estados Unidos.

    Os Estados Unidos são o país com mais mortes por coronavírus, com mais de 130.306 mortes e enfrentando um aumento de infecções no sul e oeste do país.

    O anúncio chega em um momento em que a OMS alertou para a crescente evidência de uma possível transmissão aérea do vírus, que deixou mais de 539.620 mortos em todo o mundo.

    “Isso não vai proteger a vida ou os interesses dos americanos, deixa-os doentes e solitários”, disse o senador democrata Bob Menendez, que considerou resposta de Trump à pandemia caótica e irresponsável.

    O representante democrata Ami Bera, que é médico, disse que os Estados Unidos trabalharam de mãos dadas com a OMS para erradicar a varíola e conseguiram quase acabar com a pólio.

    “Nossos casos estão aumentando”, denunciou o legislador, referindo-se ao coronavírus. “Se a OMS é culpada, por que os Estados Unidos estão ficando para trás de países como Coreia do Sul, Nova Zelândia, Vietnã e Alemanha quando se trata de voltar ao normal?”, questionou Bera.

    Até alguns aliados republicanos de Trump expressaram suas expectativas de que o presidente não tomasse a decisão final de deixar a organização.

    O governo Trump disse que a OMS ignorou os primeiros sinais de transmissão humano-a-humano do novo coronavírus, incluindo avisos feitos por Taiwan, que não faz parte do órgão da ONU por pressão de Pequim.

    Apesar de várias autoridades de saúde concordarem em criticar a OMS até certo ponto, elas também argumentam que a organização não tinha outra opção além de trabalhar com a China em uma situação de emergência.

    Fonte: AFP

    Serviços

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empreendedores, em âmbito nacional,  que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Pré Auditoria

    A Profiting, utiliza o serviço de Pré Diligência, como procedimento básico para qualquer negociação de venda de uma empresa cliente. Com foco...

    Últimas Notícias

    Amazon vai lançar 3.236 satélites para sua megaconstelação e preocupa astrônomos

    A Amazon vai enviar 3.236 satélites para a órbita da Terra, como parte de uma megaconstelação chamada Kuiper. O...

    “O protagonista do desenvolvimento sustentável na Amazônia será o setor privado, não o Estado”, afirma Mourão

    O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, declarou nesta terça-feira (11) que o setor privado será o “protagonista do...

    Veja outras matérias