quinta-feira, outubro 22, 2020
Outros

    Fabricante indiana quer fazer smartphone Android que custa US$ 54

    Em Destaque

    Diretora do BC reitera impacto de crise climática para política monetária

    Eventos climáticos extremos têm se tornado mais frequentes no mundo, com possibilidade de afetar as decisões da...

    Na 2ª alta seguida, arrecadação de impostos avança 1,97% em setembro e atinge R$ 119,8 bi

    A Receita Federal informou nesta quarta-feira (21) que a arrecadação de impostos, contribuições e demais receitas federais...

    Recorde na B3: vendas de ações em 2020 já somam R$ 106 bilhões

    O ano de 2020 ainda nem terminou, é verdade. Mas, até os mais conservadores já podem se...

    A Reliance Industries pediu a fornecedores locais que aumentem a capacidade de produção na Índia para que possam fabricar até 200 milhões de smartphones nos próximos dois anos, de acordo com pessoas a par do assunto. Seria um forte impulso para as ambições tecnológicas do país e um alerta para rivais como Xiaomi.

    A empresa mais valiosa da Índia está em negociações com fabricantes nacionais para produzir uma versão de seu celular Jio que rodaria com o sistema operacional Android do Google e custaria cerca de 4 mil rupias (US$ 54), disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas. Os celulares baratos serão comercializados com planos sem fio de baixo custo da Reliance Jio, a operadora da controladora, disseram.

    O presidente do conselho da Reliance, Mukesh Ambani, tenta renovar a indústria de smartphones do país da mesma forma que o fez com os serviços sem fio, onde seus baixos preços e planos simples rapidamente tornaram o empresário na força dominante. O bilionário também se alinha aos planos do governo indiano de expandir a manufatura nacional, um possível impulso para empresas locais como Dixon Technologies India, Lava International e Karbonn Mobiles.

    “Obviamente, estamos tentando construir nossas empresas nacionais. Temos um ponto ideal em telefones básicos”, disse Pankaj Mohindroo, presidente da India Cellular & Electronic Association, em entrevista à Bloomberg Television. “O mundo percebeu que a Índia é um ótimo lugar para fazer negócios e também para manufatura.”

    Representantes da Reliance não quiseram comentar.

    A meta da Reliance de vender de 150 milhões a 200 milhões de celulares em dois anos representaria um grande impulso para fábricas indianas. A Índia fabricou cerca de 165 milhões de smartphones no ano encerrado em março e um número aproximado de telefones com recursos básicos, de acordo com a associação de Mohindroo. Cerca de 20% dos smartphones custam menos de 7 mil rupias, ou cerca de US$ 100.

    A Bharti Airtel, concorrente da Reliance, também está em negociações com fabricantes para produzir seu próprio aparelho 4G, informou a mídia local. O Business Standard informou anteriormente sobre os planos de Ambani de terceirizar a fabricação de telefones.

    Em julho, a Reliance fechou uma ampla aliança com o Google, sob a qual a unidade da Alphabet investiria US$ 4,5 bilhões e cooperaria em iniciativas de tecnologia. A parceria ainda está sob revisão regulatória, por isso a Reliance segue com a iniciativa de celulares por conta própria por enquanto.

    Fonte: Exame

    Serviços

    Investimento em Empresas

    O mercado de aquisições de empresas está bem ativo e atraente considerando dois aspectos: O Dólar alto e a SELIC baixa.

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Últimas Notícias

    Startup do Carrefour reduz desperdício e ajuda a economizar até R$ 2 mi

    O Cybercook poderia ser apenas mais um site de receitas. Mas, adquirido pela rede de supermercados Carrefour...

    O que está por trás das compras da Stone?

    Nos últimos anos, a Stone comprou diversas startups, como a Vitta, de planos de saúde, e a...

    Veja outras matérias