quinta-feira, dezembro 3, 2020
Outros

    Japão deve juntar forças com EUA e Europa para regular gigantes de tecnologia

    Em Destaque

    Plano nacional de imunização só sai depois da vacina aprovada pela Anvisa

    O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, disse nesta terça-feira, 1, que...

    Bolsonaro justifica alta na conta de luz com nível de represas e risco de apagões

    Ao justificar o aumento na conta de luz, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou via redes...

    Ricos precisam pagar mais imposto para desigualdade cair, diz estudo

    As propostas da equipe econômica do governo Jair Bolsonaro (sem partido) para criar um novo programa social...

    O Japão unirá forças com Estados Unidos e Europa para enfrentar abusos de mercado pelas quatro maiores empresas de tecnologia, disse o novo chefe de seu órgão antitruste nesta segunda-feira (19).

    Kazuyuki Furuya, presidente da Comissão de Comércio Justo do Japão, também disse que Tóquio pode abrir uma investigação sobre qualquer fusão ou acordo de negócios. A aquisição da empresa de acessórios para atividades físicas Fitbit pelo Google é um exemplo.

    “Se o tamanho de qualquer fusão ou acordo comercial for grande, podemos lançar uma investigação antimonopólio sobre o processo do comprador de comprar uma startup (como a Fitbit)”, disse Furuya à agência Reuters. “Estamos acompanhando de perto os desenvolvimentos, inclusive na Europa.”

    Os reguladores antitruste da União Europeia lançaram em agosto uma investigação sobre a oferta de US$ 2,1 bilhões feita pela Alphabet, empresa que controle o Google, para comprar a Fitbit.

    O Japão está preparando as bases para regulamentar as empresas que controlam plataformas de internet. Entre eles estão as gigantes da tecnologia Google, Apple, Amazon e Facebook, que enfrentam várias investigações antitruste nas nações ocidentais.

    Empresas multinacionais têm práticas de negócios semelhantes em todo o mundo, o que torna a coordenação global crucial, segundo Furuya.

    “Trabalharemos em estreita colaboração com nossos colegas americanos e europeus e responderemos a quaisquer movimentos que atrapalhem a competição”, disse ele.

    “Esta é uma área que vou avançar agressivamente”, disse ele, acrescentando que a Comissão está pronta para abrir sondagens se os operadores de plataformas digitais abusarem de suas posições dominantes no mercado contra os consumidores.

    Fonte: G1

    Serviços

    Novety surfa na onda do aumento do consumo de cosméticos durante a pandemia e cresce com revendedoras e e-commerce

    O mercado de beleza e cosméticos no Brasil movimentou mais de US$ 30 bilhões no último ano e foi um dos poucos...

    Startup desenvolve pomadas cicatrizantes para psoríase e dermatites e agora busca licenciar fórmula para laboratórios e grandes redes de farmácia

    Mecânico e professor universitário desenvolveram projeto em Viçosa.Com dívidas, parceiros quase desistiram, mas atraíram investidores. Popularmente conhecido como um...

    Profiting faz Road Show para captar 20 Milhões.

    O recurso será investido em empresas associadas visando crescimento em vendas e aumento de produção. O mercado de aquisições...

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Últimas Notícias

    Novety surfa na onda do aumento do consumo de cosméticos durante a pandemia e cresce com revendedoras e e-commerce

    O mercado de beleza e cosméticos no Brasil movimentou mais de US$ 30 bilhões no último ano...

    Startup desenvolve pomadas cicatrizantes para psoríase e dermatites e agora busca licenciar fórmula para laboratórios e grandes redes de farmácia

    Mecânico e professor universitário desenvolveram projeto em Viçosa.Com dívidas, parceiros quase desistiram, mas atraíram investidores.

    Veja outras matérias