quarta-feira, janeiro 19, 2022
Outros

    Mercado Livre aposta em alimentos frescos como nova fronteira para crescer na América Latina

    Em Destaque

    O Mercado Livre pretende investir em venda de alimentos frescos na América Latina para manter crescimento de vendas, que atingiram nível recorde de US$ 7,3 bilhões no terceiro trimestre. A venda de produtos frescos no Brasil, antecipada pelo GLOBO em julho, começou em outubro, a partir de parceira com varejistas locais.

    Depois do sucesso, o marketplace procura expandir o modelo com parcerias na Argentina e no México, segundo Andre Chaves, um vice-presidente senior do Mercado Livre em Buenos Aires.

    — Ainda é cedo. Estamos focados em operações para garantir que tudo está funcionando bem e pronto para escalar. Esse é um dos primeiros passos para a experiência — afirmou Chaves, que não deu previsão para estabelecimento de possíveis parcerias.

    A empresa apresentou lucro líquido de US$ 1,9 bilhão no terceiro trimestre, na linha das expectativas dos analistas. O marketplace cresceu desde 2020 confirme a pandemia da Covid-19 levou pessoas da América Latina a comprarem mais pela modalidade online.

    Os analistas também têm acompanhado de perto os indicadores chave de desempenho (KPIs) positivos nos negócios de fintech. A carteira de crédito da empresa cresceu para mais de US $ 1,1 bilhão no terceiro trimestre, ante US $ 810 milhões nos três meses anteriores.

    Andre Chaves comentou ainda que a empresa ainda está sofrendo com a crise das cadeias de suprimentos globais. O motivo é que, por ter uma grande base de vendedores e que tem um papel inferior aos dos concorrentes na venda de eletrônicos, uma das categorias-chave afetadas pela escassez.

    Fonte: O Globo

    Fusões e Aquisições

    Últimas Notícias

    Os fundos imobiliários mais rentáveis de 2021. E o que eles têm em comum

    Os fundos imobiliários (FIIs) tiveram mais um ano de perdas em 2021. O iFix, índice do segmento, encerrou o...

    Vyttra fatura R$ 300 mi com exames de covid e está pronta para autotestes

    Fabricante brasileira de exames de covid vai investir R$ 60 milhões em 2022 e prepara testes rápidos para detectar...

    Veja outras matérias