sábado, outubro 16, 2021
Outros

    Problema dos combustíveis deve ser resolvido de forma coordenada, diz economista

    Em Destaque

    Governo Federal, estados e municípios devem procurar uma solução conjunta para a alta dos combustíveis. Essa é a avaliação do economista e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Gesner Oliveira em entrevista à CNN neste domingo (10).

    Mudanças em impostos estaduais, com o ICMS, não podem ser feitas de forma repentina, comentou. “A situação dos estados é tão ou mais crítica que a do governo federal. Municípios, estados e governo federal precisam pensar em uma solução. Alguns estados perdem muita arrecadação. Não pode subitamente alterar isso para solucionar o preço dos combustíveis. Tem que ser resolvido de uma forma coordenada, não afetando muito diretamente esta ou daquela esfera de governo.”

    Ele citou a alta da taxa Selic como solução para manter o controle da inflação. “Esperamos que até o fim do ano ela seja aumentada duas vezes para chegar a 8,25%. Porém isso não é suficiente para resolver todos os problemas”, comentou.

    “É importante pensar como amortecer a variação de preço dos combustíveis no mercado doméstico. Isso poderia ser feito com um fundo de estabilização, que teria de ter a cooperação dos estados e governo federal. Não acho oportuno ficar jogando a culpa, é preciso haver uma cooperação para haver um arranjo. Estamos precisando de mais cooperação e menos confrontação entre as esferas de governo”, disse Oliveira.

    Em 2022 a situação pode piorar, alertou o economista. “Infelizmente anos eleitorais são mais instáveis, e temos um mundo bastante instável. Há uma expectativa também de como vai evoluir o ano eleitoral, se vai haver ou não polarização, isso pode gerar mais instabilidade, que acaba repercutindo sobre o câmbio, o que afeta nosso bolso. O ano eleitoral pode acentuar a elevação da taxa de inflação. Isso precisa ser olhado com muito cuidado.”

    Fonte: CNN Brasil

    Fusões e Aquisições

    Últimas Notícias

    Microsoft vai fechar LinkedIn na China

    A Microsoft está desativando as operações da rede social LinkedIn na China, quase sete anos após seu lançamento e...

    IHS vale US$ 7 bi no IPO do 5G

    A IHS Towers começou a negociar hoje em Nova York depois de um IPO que avaliou a maior provedora...

    Veja outras matérias