sexta-feira, maio 20, 2022
Outros

    Antes de anunciar um M&A, você deve ser capaz de responder com confiança a essas 3 perguntas

    CEO da Profiting Consulting

    Em Destaque

    Moyses Samuel
    Moyses Samuel
    CEO da Profiting

    Em minha última coluna, abordei sobre a importância do anúncio para o sucesso de uma fusão ou aquisição. Dando continuidade ao tema, hoje trago mais alguns pontos importantes para aqueles empresários que estão prestes a realizar um negócio de M&A.

    Você está pronto para anunciar o negócio?

    Preparar a apresentação ao investidor é um mecanismo forçado para testar a credibilidade das alegações econômicas e operacionais do negócio – a última parada na diligência. As comunicações de fusões e aquisições devem sinalizar que a alta administração entende completamente o que está propondo e prometendo – e que pode seguir adiante.

    Antes de anunciar um negócio, os adquirentes devem ser capazes de responder com confiança a essas três perguntas.

    1 – Você tem um caso confiável com metas de sinergia defensáveis e rastreáveis que você pode entregar e que os investidores podem monitorar ao longo do tempo?

    A história que você está contando – a lógica estratégica – deve abordar por que a empresa pode superar as expectativas existentes, conforme refletido no preço das ações pré-anúncio, e fazê-lo de maneiras que não são facilmente replicadas pelos concorrentes. Essa lógica deve ser acompanhada por metas operacionais razoáveis que possam ser facilmente compreendidas, rastreadas e monitoradas. Prever ganhos excessivamente otimistas de possíveis sinergias sem explicar como ou quando eles serão realizados envia um sinal vermelho aos investidores.

    2 – Seus argumentos ajudam a reduzir a incerteza e direciona a organização para que os funcionários possam entregar de forma eficaz?

    A incerteza é um dos fatos inevitáveis da vida em fusões e aquisições – especialmente para os funcionários que são os que têm que executar o plano. Mas grandes anúncios de fusões e aquisições que injetam incerteza desnecessária são ainda mais perturbadores, agravando os efeitos já inquietantes do planejamento de integração. Os funcionários vão querer saber rápida e honestamente como serão afetados. Assim, as melhores apresentações para investidores terão a nova equipe da alta administração e os principais relacionamentos de relatórios em vigor quando o acordo for anunciado para evitar um vácuo de liderança que possa comprometer a integração das duas empresas. Os adquirentes comprometidos com a experiência de seus funcionários entendem que sua nova experiência começa no anúncio.

    3 – Sua apresentação vincula de forma convincente os planos de integração pós-fusão à economia da transação?

    As aquisições normalmente envolvem o pagamento de um prêmio significativo aos acionistas da empresa vendedora. Esse prêmio é um choque para o sistema que ninguém esperava – uma adição imediata e direta ao valor de crescimento da meta e o relógio do custo de capital começa a contar no dia 1. Mesmo quando a administração oferece respostas confiáveis ​​para as perguntas 1 e 2 , os investidores reduzirão o preço da ação do adquirente para refletir o “valor real” do negócio se o valor presente dos números de sinergias não justificarem o prêmio – ou se o prêmio criar um problema de melhoria de desempenho que provavelmente não é alcançável.

    As três perguntas podem ser resumidas em uma pergunta direta que os conselhos e os líderes devem se fazer antes de votar no grande negócio: como esse acordo afetará o preço de nossas ações e por quê? Você deve responder a essa pergunta de forma convincente e totalmente baseada em todo o trabalho que já fez para se convencer de que deseja realizar essa aquisição.

    As comunicações no Dia do Anúncio exigem que tanto o comprador quanto o vendedor considerem e abordem todo o mundo das partes interessadas que tomarão conhecimento do negócio quando o comunicado à imprensa for emitido. Mesmo quando seu plano é executado com perfeição e sua mensagem é forte, é provável que seus stakeholders tenham uma maior receptividade a telefonemas de concorrentes que estão tentando recrutá-los.

    Um novo relacionamento está se desenvolvendo entre a administração, os investidores e outras partes interessadas, à medida que tentam distinguir os “bons” dos “ruins”. Quando os investidores estão em dúvida, eles tendem a assumir o último – o mesmo acontece com os funcionários. Ao se concentrar em uma comunicação clara e convincente, você pode convencer os investidores e outras partes interessadas de que tem uma visão e um plano para criar novo valor, colocando-o firmemente no campo do “bom”.

    Fusões e Aquisições

    Últimas Notícias

    ONU fala em ‘catástrofe’ após indicadores climáticos baterem recordes

    Concentrações de gases do efeito estufa, o aumento do nível do mar, o conteúdo de calor dos oceanos e...

    Uma Globo paralela? Como a Play9 está construindo “uma rede de afiliadas” de canais online

    Foi preciso muita pesquisa, reflexão e um ano e meio de sessões semanais de análise para que João Pedro...

    Veja outras matérias