domingo, fevereiro 28, 2021
Outros

    Cade aprova compra de portfólio de medicamentos da Takeda pela Hypera

    Em Destaque

    Desemprego na Covid supera o pior da mais longa recessão

    O número é até superior ao do pior momento do trabalho no Brasil até então, em 2017, que pegou...

    Por um caso de coronavírus, Nova Zelândia retoma quarentena em sua maior cidade

    A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, ordenou neste sábado que a maior cidade do país, Auckland, volte a...

    Tecnologia 5G estará disponível em todas as capitais até julho de 2022

    A tecnologia do 5G estará disponível em todas capitais brasileiras até julho de 2022. O edital para o leilão...

    O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira (20), por unanimidade, a compra de portfólio de medicamentos da Takeda pela Hypera.

    A lista de produtos vendidos para a Hypera é formada por: Eparema, Nenê-Dent, Albocresil, Venalot, Nebacetin, Neosaldina, Ad-Til, Alektos, Nesina, Dramin e Xantinon.

    Segundo a Hypera, com a compra do portfólio por US$ 825 milhões (cerca de R$ 4 bilhões), a farmacêutica se torna líder em medicamentos que não precisam de prescrição médica, com participação de 20% no mercado.

    Em sessão extraordinária realizada por videoconferência, o Cade avaliou que a aquisição não provocará problemas concorrenciais no Brasil. Para isso, no entanto, as farmacêuticas devem fazer uma operação de desinvestimento (ou seja, vender a um terceiro) dos medicamentos Xantinon e Xantinon Complex, indicados para tratamento do fígado e metabolismo de gordura.

    Para cumprir a exigência, a Hypera vendeu o Xantinon para a União Química ainda no ano passado, operação que já foi analisada pelo Cade e aprovada de forma definitiva em novembro de 2020, sem possibilidade de recursos.

    Com a condição cumprida, nesta quarta, os conselheiros do Cade aprovaram que a Hypera assuma o portfólio de medicamentos da Takeda.

    Relatora do processo no Cade, a conselheira Paula Farani de Azevedo votou pela aprovação da venda. Segundo ela, a venda do Xantinon permite que a União Química tenha condições de concorrer com a Hypera no mercado de remédios para distúrbios do fígado.

    “O negócio desinvestido confere ao concorrente da indústria farmacêutica condições de impor rivalidade efetiva”, afirmou a relatora. Os outros quatro conselheiros acompanharam a relatora, de modo que a decisão foi unânime.

    Para concluir a operação, a Hypera comprará a totalidade das ações de uma nova empresa a ser incorporada no Brasil, e que deterá as linhas dos produtos que antes pertenciam à Takeda.

    Fonte: G1

    Serviços

    Últimas Notícias

    Tecnologia 5G estará disponível em todas as capitais até julho de 2022

    A tecnologia do 5G estará disponível em todas capitais brasileiras até julho de 2022. O edital para o leilão...

    GetNinjas e Pif Paf engrossam a fila de futuros IPOs na bolsa brasileira

    Quatro novas empresas protocolaram pedido para abertura de capital junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta sexta-feira, 26,...

    Veja outras matérias