quinta-feira, maio 6, 2021
Outros

    DNA Capital compra fatia de fundos e assume o controle da Memed

    Em Destaque

    “Há muitos Mercados Livres para nascer na AL”, diz Nicolas Szekasy, do Kaszek

    Quando os argentinos Nicolas Szekasy e Hernan Kazah deixaram o Mercado Livre, empresa que tinham cofundado, para criar a...

    Bradesco espera perder receita com Pix e WhatsApp Pay, mas tem substituto

    A chegada da ferramenta de transferências de dinheiro via WhatsApp , assim como o Pix , vai 'morder' um pedaço da...

    Companhia low-cost de fundador da Azul fecha acordo com Embraer

    A Breeze Airways – companhia criada pelo fundador da Azul – assinou um contrato com a Embraer para fazer...

    O fundo de venture capital DNA Capital, que tem Pedro Bueno, do grupo Dasa, entre os investidores, está assumindo o controle da Memed, startup que atua na área de prescrição de medicamentos de forma digital.

    De acordo com documento enviado ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a operação acontece por meio de dois fundos de investimentos em participações: o FIP Genoma IV e o FIP Tantal.

    “Os compradores são veículos de investimentos via participação em outras sociedades que estão sob o controle de Pedro de Godoy Bueno (“PB”) e sob gestão da DNA Capital Consultoria Ltda.”, relata um trecho do documento, que informa que os vendedores são pessoas físicas e o fundo de investimentos da Redpoint eventures.

    Ainda segundo esse documento, que está sendo apresentado ao Cade, “como resultado dessa aquisição, o grupo econômico dos compradores passará a deter, de forma indireta, a integralidade das ações da Memed”.

    Segundo apurou o NeoFeed, todos os fundos de venture capital que investiram na Memed, assim como os investidores-anjos, estão vendendo suas fatias. Entre eles estão, além da Redpoint eventures, a Qualcomm Ventures e a Monashees.

    Os fundadores da Memed ficarão também à frente do negócio. A Memed foi fundada em 2012 por Ricardo Moraes, Rafael Moraes, René Moraes e Marcel Ribeiro.

    Em um segundo momento, outros fundos de venture capital devem entrar na base acionária da companhia, disseram fontes ao NeoFeed. Se esse movimento acontecer, a DNA poderá voltar a ter uma posição minoritária.

    O negócio precisa ainda de aprovação do Cade, mas, segundo as fontes com quem o NeoFeed conversou, é improvável que o órgão regulador possa impedir a transação.

    Em fevereiro do ano passado, a DNA Capital e a Redpoint eventures lideraram uma rodada série B de R$ 20 milhões na Memed. De acordo com o site da empresa, a solução da Memed, que permite que uma receita médica seja enviada de forma digital, já é usada por mais de 50 mil médicos e mais de 200 parceiros, entre eles iClinic (que foi comprada pela Afya), Prevent Senior e Totvs.

    A DNA Capital é um veículo de investimentos que conta com a família Bueno entre os investidores. No ano passado, além da Memed, investiu na plataforma de conteúdo para médicos Sanar e na Feegow, empresa de software de gestão de clínicas de médio e grande porte. Neste ano, apostou na Beep Saúde, que tem um modelo de atendimento domiciliar de exames e vacinas.

    Na terça-feira, 27 de abril, a Dasa anunciou a integração de todas as suas marcas sob o nome Dasa. Com o novo posicionamento, a rede de hospitais Ímpar e a GSC, uma integradora de saúde de atenção primária, passam a fazer parte da mesma estrutura vertical que conta com os laboratórios.

    Fonte: Neofeed

    Serviços

    Últimas Notícias

    Xiaomi traz ao Brasil seu 30º smartphone em dois anos

    A chinesa Xiaomi traz ao Brasil a partir de hoje dois novos smartphones chamados Redmi Note 10 Pro e...

    Marcas europeias ameaçam boicotar produtos do Brasil devido a política ambiental

    O Projeto de Lei (PL) 510/21, que altera regras de regularização fundiária em terras da União e do Incra...

    Veja outras matérias