quinta-feira, outubro 22, 2020
Outros

    Gafisa segue na busca por fusão com Tecnisa

    Em Destaque

    Diretora do BC reitera impacto de crise climática para política monetária

    Eventos climáticos extremos têm se tornado mais frequentes no mundo, com possibilidade de afetar as decisões da...

    Na 2ª alta seguida, arrecadação de impostos avança 1,97% em setembro e atinge R$ 119,8 bi

    A Receita Federal informou nesta quarta-feira (21) que a arrecadação de impostos, contribuições e demais receitas federais...

    Recorde na B3: vendas de ações em 2020 já somam R$ 106 bilhões

    O ano de 2020 ainda nem terminou, é verdade. Mas, até os mais conservadores já podem se...

    A Gafisa permanece firme em seu plano de fusão com a Tecnisa. Nesta semana, a companhia contratou o Credit Suisse para dar início a “abordagem mais estruturada” dos acionistas da Tecnisa, em busca de negociação amigável para a associação das duas incorporadoras, segundo o vice-presidente Finanças e Gestão da empresa, Ian Andrade. Mas, assim como na assembleia geral extraordinária (AGE) da Tecnisa realizada na semana passada, a Gafisa não estará presente no evento desta quinta-feira.

    “Apesar de a Gafisa ser a segunda maior acionista da Tecnisa, não temos interesse em participar da assembleia. O assunto só vai avançar se for tratado amigavelmente”, disse Andrade ao Valor. O executivo preferiu não estimar que parcela dos participantes da AGE tende a votar a favor dos temas propostos pela Gafisa, como a elevação de 20% para 30% do limite para que o mecanismo de dispersão acionária (“poison pill”) seja disparado. “O mapeamento não está muito claro. O percentual oscila muito”, diz o vice-presidente da Gafisa.

    Companhia contratou o Credit Suisse para iniciar uma “abordagem mais estruturada” aos acionistas da Tecnisa

    Segundo fonte, a companhia fundada por Meyer Nigri tem expectativa de que a mesma base de acionistas que votou com o controlador, na AGE anterior, seja mantida. Procurado pelo Valor, o presidente da Tecnisa, Joseph Nigri, preferiu não se manifestar. Na assembleia da semana passada, na qual compareceram 45% dos acionistas da Tecnisa, 98% dos presentes rejeitaram a continuidade dos estudos para potencial integração de negócios com a Gafisa.

    “Era de se esperar. O acordo de um voto único estava preparado”, diz o vice-presidente da Gafisa, ressaltando que menos de 50% dos acionistas da Tecnisa participaram da AGE. Na semana passada, 44% do total de acionistas da Tecnisa – incluindo os 33% que firmaram acordo de voto – se mostraram alinhados com a administração da companhia, a qual considera não haver sinergia na integração que foi proposta pela concorrente.

    A família Nigri – controladora da Tecnisa – tem fatia de cerca de 26%. Por meio do fundo Bergamo, a Gafisa tem 5,3% de participação na Tecnisa. Já o investidor Nelson Tanure participa da Gafisa por meio de fundos geridos pela Planner Asset Managment, a qual tem fatia de 30,3% dessa companhia.

    Outra proposta a ser votada, na AGE desta quinta-feira, será a de aumento de capital da Tecnisa no valor de até R$ 500 milhões. Na avaliação de Andrade, a Tecnisa precisa da capitalização para ter crescimento sustentável e “surfar no próximo ciclo do mercado imobiliário”.

    “Até por sermos conhecedores do negócio, sabemos que um ciclo relevante de crescimento precisa de capital para investimentos em terrenos e início dos projetos”, diz o vice-presidente da Gafisa, acrescentando que parte dos recursos captados pela Tecnisa na oferta de ações subsequente (“follow-on”) de 2019 foi direcionada ao pagamento de dívidas.

    Na avaliação de Andrade, o caixa da Tecnisa é “suficiente para pagar dívidas e manter a empresa flutuando”. “Mas para que haja crescimento relevante, é preciso um reforço”, diz o executivo da Gafisa. Questionado sobre isso, o presidente da Tecnisa limitou-se a responder que “o tempo dirá”. No fim de junho, a Tecnisa tinha caixa de R$ 287 milhões. A companhia já divulgou que continua comprando terrenos e que tem estoque de áreas necessário para os lançamentos do próximo ano.

    Para o executivo da Gafisa, a reestruturação financeira pela qual passou a Tecnisa poderia ter sido mais ampla. “A reestruturação está associada à diminuição de custos e despesas, mas também são necessários direcionamento estratégico e revisitação de cultura, comportamento e posturas”, diz Andrade.

    Perguntado sobre qual será a postura da Gafisa se suas propostas não forem aprovadas pelos acionistas da Tecnisa, Andrade respondeu que a companhia irá “mapear alternativas” e que o interesse na associação das duas está mantido. “O que vai nos fazer parar é se a negociação com a Tecnisa não for amigável”, diz o vice-presidente da Gafisa. Segundo ele, a união entre as duas empresas é “muito importante para o setor”. “Em conjunto, podemos ser muito mais fortes e tradicionais do que já somos”, afirma.

    Fonte: Abecip

    Serviços

    Investimento em Empresas

    O mercado de aquisições de empresas está bem ativo e atraente considerando dois aspectos: O Dólar alto e a SELIC baixa.

    Buscamos Empreendedores para parcerias.

    Foto: Moyses Samuel, Presidente do grupo Profiting. Estamos selecionando empresários, em âmbito nacional, que possuam negócios que precisam ser...

    Recuperação de tributos próprios

    Sua empresa pode melhorar o fluxo de caixa se houver créditos tributários nos últimos 5 anos.

    Há sempre possibilidades de melhorias

    "O Brasil possui excelentes profissionais de consultoria. Nesta crise é necessário muita dedicação na busca de soluções para os problemas. Em situações...

    Quanto a minha empresa perdeu de valor na Pandemia?

    Algumas empresas aumentaram seu valor na pandemia. Outras, perderam. É importante saber qual o ganho ou qual a perda nesse momento? A...

    Últimas Notícias

    Startup do Carrefour reduz desperdício e ajuda a economizar até R$ 2 mi

    O Cybercook poderia ser apenas mais um site de receitas. Mas, adquirido pela rede de supermercados Carrefour...

    O que está por trás das compras da Stone?

    Nos últimos anos, a Stone comprou diversas startups, como a Vitta, de planos de saúde, e a...

    Veja outras matérias