quinta-feira, setembro 23, 2021
Outros

    Brasil confirma 2 casos atípicos de vaca louca; suspende venda de carne bovina para China

    Em Destaque

    O Ministério da Agricultura confirmou neste sábado a ocorrência no Brasil de dois casos atípicos da doença Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como “vaca louca”, o que desencadeou a suspensão temporária de exportações de carne bovina para a China a partir desta data, disse a pasta em comunicado.

    Um dos casos foi identificado em um frigorífico de Nova Canaã do Norte (MT) e o outro em Belo Horizonte (MG), informou o ministério.

    O governo federal vinha investigando a suspeita da doença desde quarta-feira. Uma fonte da indústria já havia antecipado à Reuters, na condição de anonimato, que em Minas Gerais poderia se tratar de um caso atípico, quando não há contaminação.

    A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou neste sábado que as fiscalizações federais ocorrem frequentemente para garantir o status sanitário do produto brasileiro.

    “Eu quero só tranquilizar a população, é um caso atípico, foram casos isolados e agora o ministério vai tomar todas as providências”, disse ela durante lançamento do Movimento Agro Fraterno, para entrega de alimentos, em Mato Grosso do Sul.

    Estes são o quarto e quinto casos atípicos de vaca louca identificados no país em mais de 23 anos de vigilância para a doença. O Brasil nunca registrou a ocorrência de caso de EEB clássica, pontuou o ministério.

    “A EEB atípica ocorre de maneira espontânea e esporádica e não está relacionada à ingestão de alimentos contaminados. Todas as ações sanitárias de mitigação de risco foram concluídas antes mesmo da emissão do resultado final pelo laboratório de referência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, na sigla em inglês), em Alberta, no Canadá. Portanto, não há risco para a saúde humana e animal.”

    A pasta disse que, após a confirmação do diagnóstico ocorrida na sexta-feira, o Brasil notificou oficialmente a OIE, conforme preveem as normas internacionais.

    “No caso da China, em cumprimento ao protocolo sanitário firmado entre o país e o Brasil, ficam suspensas temporariamente as exportações de carne bovina”, disse a pasta.

    A medida, que passa a valer a partir deste sábado, se dará até que as autoridades chinesas concluam a avaliação das informações já repassadas sobre os casos.

    Quando o caso mais recente de vaca louca foi identificado, em 2019, em um frigorífico de Mato Grosso, as exportações da proteína do país para a China ficaram suspensas por cerca de 13 dias.

    China e Hong Kong configuram o principal destino da carne bovina brasileira, respondendo por 59% da receita e volume exportado, de acordo com a associação da indústria Abrafrigo.

    O ministério esclareceu ainda que a OIE exclui a ocorrência de casos de vaca louca atípica para efeitos do reconhecimento do status oficial de risco do país.

    “Desta forma, o Brasil mantém sua classificação como país de risco insignificante para a doença, não justificando qualquer impacto no comércio de animais e seus produtos e subprodutos.”

    Os dois casos de EEB atípica –um em cada estabelecimento– foram detectados durante a inspeção ‘ante-mortem’, que precede o abate. Trata-se de vacas de descarte que apresentavam idade avançada e que estavam em decúbito nos currais.

    Fonte: Istoé

    Fusões e Aquisições

    Últimas Notícias

    Conheça a startup que vale 8,7 bilhões de dólares vendendo carros usados

    Não faz dois meses que a Kavak – unicórnio mexicano para compra e vendas de carros seminovos – veio...

    Sem conseguir vender ativos, Saraiva corre risco de ter falência decretada

    Sem conseguir vender ativos, como pontos de lojas e seu domínio na internet, para ganhar fôlego para pagar seus...

    Veja outras matérias